Autor Tópico: Colecção Commendatore - 1/43  (Lida 325884 vezes)

Offline FSilvano

  • Feedback: (+2)
  • Membro FDC
  • *
  • Mensagens: 597
    • Land Rover Scale Models
Re: Colecção Commendatore - 1/43
« Responder #3105 em: 03 de Agosto de 2019, 11:55:15 »
Sem dúvida um belo clássico. Excelente introduçao.  [:happy14:]

FS

Offline zwaenepoel

  • Jorge Fonseca
  • Moderador Global
  • Feedback: (+53)
  • Génio das Miniaturas
  • *****
  • Mensagens: 9544
Re: Colecção Commendatore - 1/43
« Responder #3106 em: 03 de Agosto de 2019, 20:36:02 »
Um clássico "diferente".
A introdução excelente como sempre.

Offline PauloAzul

  • Feedback: (0)
  • Simpatizante
  • *
  • Mensagens: 132
  • Colecionador Ferrari 1:43
Re: Colecção Commendatore - 1/43
« Responder #3107 em: 05 de Agosto de 2019, 20:34:23 »
Estes clássicos são sempre fantásticos, por serem raros na vida real, alguns do tempo dos nossos avós, que podem tornar-se em peças únicas, mesmo nos modelos à escala, belissimo/s  [:happy14:]

Offline Commendatore

  • João Duarte
  • Feedback: (+24)
  • Génio das Miniaturas
  • *****
  • Mensagens: 7397
Re: Colecção Commendatore - 1/43
« Responder #3108 em: 11 de Agosto de 2019, 23:39:36 »
Obrigado a todos pelos comentários.
__________________________________________

Com um historial profundamente ligado ao desporto automóvel, os primeiros Ferrari de estrada eram principalmente um meio de financiar o desenvolvimento dos carros de competição - além de que vários dos modelos "de estrada" eram, também eles, utilizados em provas desportivas.

Ainda assim, Maranello rapidamente percebeu que a produção de veículos GT era, por si, um bom negócio, e estes modelos ganharam cada vez mais importância para a marca. Ao contrário do que acontece hoje, em que as decisões tendem a ter de ser suportadas em números e estudos de mercado, nos tempos áureos de Enzo Ferrari esta lógica nem sempre imperava: consta que il Commendatore tinha um feitio... "delicado". São disto exemplos o célebre desprezo pela aerodinâmica em prol da potência pura ou a chegada tardia aos supercarros com motor montado atrás: em ambos os casos, a marca italiana chegou mais tarde, deixando que os concorrentes fizessem boa parte da prova de conceito.

Em todo o caso, momentos houve em que a casa de Maranello soube fazer boa leitura de jogo: o sucesso dos Dino 206 e 246, que não tinham direito ao nome "Ferrari", veio provar que havia mercado para um carro com todas as características de um Ferrari - mas mais barato, e com naturais concessões em termos de potência.

Foi sob este mote que no salão de Paris de 1975 foi revelado o 308GTB, um dos mais bem sucedidos Ferrari de sempre, e iniciador da linhagem de modelos com V8 em posição central. Pode-se argumentar que, mesmo à época, o 308GTB não era um carro barato - não era, de facto. Mas era uma berlinetta com todo o estilo e ar de família Ferrari, vendido por um preço um pouco menos elitista que os Berlinetta Boxer.

Este modelo de entrada tinha um motor com 2927cm3 de capacidade (donde a designação: 3.0, 8 cilindros) e uma potência máxima de 255cv, que embora hoje não pareça espetacular, permitia levar os 1300kg de Ferrari com carroçaria em fibra de vidro até aos 252km/h e uma dinâmica ao nível do que se exigia para uma criação com o cavallino rampante. A gama sofreu diversas evoluções, como a chegada do modelo GTS, com tejadilho Targa, em 1977, ou a versão GTBi com injeção eletrónica, que faria a potência descer para os 214cv. A adoção de uma carroçaria em aço e o retomar de potência em versões posteriores foram outras variantes de um modelo que se manteve no ativo durante 10 anos, altura em que deu lugar ao 328GTB - que, mais que um novo modelo, era uma evolução do 308.

Durante a carreira do 308, as versões descapotáveis venderam mais exemplares que os GTB, exceção feita aos modelos 208, que utilizavam um V8 de 2 litros, muito interessante para mercados em que a alta cilindrada era penalizada. Até 1985, foram produzidos 2897 exemplares do 308GTB. Somando as versões GTS, GTBi/GTSi e Quattrovalvole, o total supera as dez mil unidades.


Esta miniatura é, também ela, um clássico. De fabrico português, este Vitesse ainda cumpre bem pelos padrões de hoje, com um molde decente e detalhes corretos para o preço. Os limpa-vidros têm uma grossura algo exagerada, e talvez a cor não esteja tão no ponto como a Kyosho a deixaria - mas para a época e preço desta miniatura, não é nada de dramático. Outra parte menos boa, penso que do meu exemplar em particular, toda a parte vidrada está algo descaída, um assunto que terei de me encher de coragem para resolver, desmontando a miniatura.


Fonte: "Ferrari by Pininfarina - Technology and Beauty", Etienne Cornil, Giorgio Nada Editore


Ferrari 308GTB (1975)
Vitesse














Offline cds

  • Feedback: (+14)
  • Génio das Miniaturas
  • *****
  • Mensagens: 8117
Re: Colecção Commendatore - 1/43
« Responder #3109 em: 12 de Agosto de 2019, 15:25:07 »
Excelente introdução ao Ferrari 308 [:clap:] [:yap:]
A miniatura tal como dizes tem os limpa-vidros um bocado fora de escala, e é pena o vidro estar fora do sitio ou pelo menos assim parece.
De resto cumpre muito bem, gostei de ver [:happy72:]

Offline ZeCarlos

  • José Carlos Silva
  • Feedback: (+4)
  • Colecionador FDC
  • **
  • Mensagens: 1677
  • F1 Fanatic
    • Driving for Fun
Re: Colecção Commendatore - 1/43
« Responder #3110 em: 13 de Agosto de 2019, 09:52:45 »
Passou-me o Hispano Suiza, estava de férias mas, mesmo sendo um Altaya, para mim que não sou um conhecedor da temática, está lindo!
The older I get, the faster I was.

Offline Obsession

  • Administrador
  • Feedback: (+47)
  • Curador de Museu
  • *****
  • Mensagens: 13222
Re: Colecção Commendatore - 1/43
« Responder #3111 em: 13 de Agosto de 2019, 14:16:10 »
Viva João

Gosto muito do 308. Aquelas linhas puristas!!!  [:wow:]

A miniatura é simples mas cumpre, claro, não esquecendo os anos que o modelo da Vitesse já tem no mercado.

A introdução, como sempre, está impecável!!

Grande abraço


If everything's under control, you're going to slow

Offline Paulo Ferreira

  • Feedback: (+16)
  • Fanático do Diecast
  • ****
  • Mensagens: 4447
    • Paulo Ferreira Diecast
Re: Colecção Commendatore - 1/43
« Responder #3112 em: 15 de Agosto de 2019, 23:20:00 »
Apesar de ser um molde com muitos anos em cima, consegue mostrar toda a beleza que o carro sempre teve.

É impossível ficarmos indiferentes a essa frente imponente!

E uma vez mais, muito agradecido pela introdução! Sem dúvida, uma enorme mais valia das tuas partilhas!  [:happy14:]

Offline zwaenepoel

  • Jorge Fonseca
  • Moderador Global
  • Feedback: (+53)
  • Génio das Miniaturas
  • *****
  • Mensagens: 9544
Re: Colecção Commendatore - 1/43
« Responder #3113 em: 16 de Agosto de 2019, 11:10:40 »
Esta senhora é tão antiga, tão antiga....
Já foi "una bella ragazza", hoje está com as partes um bocado descaidas.

É normal da idade!

Offline PauloAzul

  • Feedback: (0)
  • Simpatizante
  • *
  • Mensagens: 132
  • Colecionador Ferrari 1:43
Re: Colecção Commendatore - 1/43
« Responder #3114 em: 16 de Agosto de 2019, 13:38:56 »
Este modelo é muito bom para o preço, mas existem detalhes que gosto de apreciar e que tendo este modelo mas de rally vejo alguns problemas, nomeadamente o espelho retrovisor demasiadamente baixo, os vidros descaidos é fruto da idade e tb tenho em atenção nomeadamente nos Looksmart os espelhos retrovisores em modelos com 10 anos demasiados grandes comparativamente aos meus preferidos, os BBR, são quase do tamanho da cabeça de um possível condutor, actualmente estão corrigidos, preços ligeiramente inferiores aos BBR, mas é uma bela peça para restaurar. [:wink01:]
« Última modificação: 16 de Agosto de 2019, 16:09:18 por PauloAzul »

Offline Commendatore

  • João Duarte
  • Feedback: (+24)
  • Génio das Miniaturas
  • *****
  • Mensagens: 7397
Re: Colecção Commendatore - 1/43
« Responder #3115 em: 18 de Agosto de 2019, 22:50:07 »
Obrigado a todos pelos comentários.
____________________________________________

A poluição atmosférica causada pelos transportes colocou, desde a crise energética dos anos 70, e de um modo crescente, os construtores automóveis sob pressão para desenvolverem veículos mais amigos do ambiente.

De início, a globalidade dos construtores optou pela via de desenvolver carros mais económicos: reduzindo consumos, as emissões de dióxido de carbono e outros poluentes também diminuiriam. Embora tenha tirado pouco partido disso a nível de marketing, a Citroën não só seguiu esta via (através do leve e económico AX, entre outros estudos), como contribuiu para que o Grupo PSA fosse o maior produtor mundial de automóveis elétricos.

De facto, quando a mobilidade elétrica ainda não era um assunto do presente, a Citroën já propunha em alguns mercados os AX e C15 Électrique, rapidamente secundados por versões equivalentes do Peugeot 106, Citroën Saxo e do duo Berlingo/Partner. Apesar do interesse do conceito, a autonomia era inferior a 100km, e os modelos elétricos eram caros, o que, sem surpresa, não fez destes modelos êxitos comerciais.

No entanto, com o virar do século, veio também a aposta política na mobilidade elétrica: os carros com motores mais poluentes começavam a ser penalizados na fiscalidade um pouco por toda a Europa, enquanto as soluções híbridas ou com "emissões zero" tinham inclusivamente apoios para a aquisição.

Neste contexto, o Grupo PSA optou por não investir na conceção de modelos elétricos, mas também não poderia ficar de fora da tendência do momento. Assim, a escolha acabou por recair numa parceria com a Mitsubishi: a marca japonesa passaria a produzir o seu i-Miev com emblemas Citroën (C-Zero) ou Peugeot (iOn).

Lançado no final de 2009, o C-Zero retomava todas as qualidades e defeitos do modelo Mitsubishi: a ótima agilidade em cidade destacava-se, enquanto o preço era ainda muito elevado (cerca de 30.000€). Se a vida comercial do C-Zero nunca foi muito expressiva, o aparecimento do Renault Zoe só dificultou mais as coisas, dado que era mais barato, espaçoso e, sobretudo, reclamava maior autonomia. Apesar disso, a saída de catálogo do C-Zero tem sido prevista com frequência na imprensa da especialidade, por enquanto sem se confirmar na prática: em Lisboa e em outras cidades europeias, empresas de carsharing têm optado pelo pequeno C-Zero.

Esta miniatura da Norev reproduz com bastante correção o simples Mitsu... Citroën C-Zero. A pintura está, até, muito bem conseguida; não dá para fazer o C-Zero parecer bonito, porque isso entraria na categoria dos milagres!


Fonte: "L'Automobile - Toutes les voitures du monde", edição de 2014.


Citroën C-Zero (2009)
Norev















Offline Obsession

  • Administrador
  • Feedback: (+47)
  • Curador de Museu
  • *****
  • Mensagens: 13222
Re: Colecção Commendatore - 1/43
« Responder #3116 em: 19 de Agosto de 2019, 00:02:00 »
Viva João

Um eco car bem caro para o tamanho e capacidades. No entanto foi das primeiras alternativas que o mercado viu depois de se começar a dar um pouco mais de importância ao ambiente...

A miniatura, está muito bem reproduzida, ou não fosse da casa Norev. Pelo que as fotos deixam ver os interiores também estão impecáveis!!!

Excelente este Norev. Excelente introdução como habitual!!

Grande abraço


If everything's under control, you're going to slow

Offline zwaenepoel

  • Jorge Fonseca
  • Moderador Global
  • Feedback: (+53)
  • Génio das Miniaturas
  • *****
  • Mensagens: 9544
Re: Colecção Commendatore - 1/43
« Responder #3117 em: 19 de Agosto de 2019, 10:38:13 »
Ó coisa mais feia!!!

Só mesmo a Norev para fazer este carro, certamente por encomenda da própria Citroen.

Offline ZeCarlos

  • José Carlos Silva
  • Feedback: (+4)
  • Colecionador FDC
  • **
  • Mensagens: 1677
  • F1 Fanatic
    • Driving for Fun
Re: Colecção Commendatore - 1/43
« Responder #3118 em: 19 de Agosto de 2019, 13:31:48 »
Um dos piores carros que alguma vez conduzi na vida...
Serve para o carsharing e já tá muito bom para isso, nada mais.

Vale a habitual apresentação que nos ensina sempre coisas novas, não fazia a mais pequena ideia que era um Mitsubishi  [:happy72:]
The older I get, the faster I was.